domingo, 14 de maio de 2017

Eu vou


O primeiro passo



Companhia para a última dança

Quem já passou por isso sabe. Imagine-se prisioneiro do tempo. Com os minutos contados e recontados. Iniciado um "timer" preparado para chegar ao fim. O algoz precisando de um par para a última dança. Uma angústia sem fim. Todos, que com os olhos cheios de lágrimas e o coração cheio de pesar, clamavam desesperadamente por um fio de esperança.


O destino estava lançado. E nós, desconhecedores da sorte, esperávamos para ver, nada mais poderíamos fazer. Ou poderíamos? É difícil dizer, mas é pior saber, pelo menos nesta situação. 

E o que não esperávamos parecia certeiro. E lá se foi ela. Desfrutou de sua última dança. Em companhia não desejada é claro. Desfaleceu em seus braços. Levou um pedaço de cada pessoa com quem compartilhava sua vida. Em dias de primavera, eu teimo e insisto em dizer que sinto seu cheiro nas flores.




quinta-feira, 6 de abril de 2017

Não está fácil para ninguém

Ninguém disse que seria. Mesmo para aqueles que neste momento vivem na mais santa paz. Se prepare, a vida logo se lembra de você e vem te dar um sacode. 

Não estou dizendo que ela é do mal e não vai te dar um único momento de descanso. Longe disso, o que quero dizer é que: não é bom ficar parado. 

O que não podemos negar é o qual bom é o viver, quanta coisa bom já vivemos até aqui, cada acordar, cada respirar, cada conquista, cada alegria, cada música boa que já ouvimos, cada sorriso.

Se tudo anda bem: se liga que não da para acomodar. Se tudo não vai bem, se fortaleça, respire fundo, tenha uma boa noite de sono e vá buscar melhorias. O que não pode é ficar parado, em ambas as situações. 

E, mesmo que não seja fácil, você pode buscar suporte, amparo, uma voz, uma mão. Você sempre pode ir ou pode ficar. Cabe a você decidir. 

Só saiba que nunca é tarde. 

Não deixe que um fardo de arrependimentos te impeça de se superar a cada dia. Há sempre tempo para se tornar uma versão melhor de si próprio.

 

quinta-feira, 23 de março de 2017

Sem medo



Inicialmente não precisa ser perfeito. Precisa ser feito. Necessita sair do papel. Deve ganhar asas. Tem que ter o sopro da vida e ser. Partir do mundo das ideias. 

Se tornar real. 

Meu desafio, meu calcanhar de Aquiles, minha pedra no sapato, a pedra no meio do caminho. Tudo que nascia, travava, era podado, se desmanchava em minhas mãos. 

Por causa da minha bagagem, das minhas defesas, meus medos. Dar vazão ao ser e tornar-se, finalmente, quem sempre fui tinha status de urgência. Sem barreiras, contratempos, empecilhos. 

De grão em grão, sem espaço para olhares de condenação. A essência da felicidade e a paz interior seriam forças, grandes aliadas, nessa grande batalha que começava e empreender. 

Os caminhos e a vida


Quem sou eu? Quem eu sou?


quarta-feira, 22 de março de 2017

A beleza encontra-se na simplicidade


Ao acordar preciso lembrar

         

É como se fosse uma oração. todos os dias, ao abrir os olhos, eu preciso lembrar os motivos de querer seguir. Recordar daqueles que são caros, dos momentos de conquista, de partilha, de alegria. 
Recarrego minhas baterias e sinto que sou muito mais.

Deixar o peso para trás, as mágoas, arrancar as ervas daninhas que insistem em atormentar a mente e levar embora a paz.

E não são só estes sentimentos, muitas pessoas se traduzem em embaixadores da dor, da dúvida, da incerteza e da solidão.

E a alma se prepara para a luta diária, e tento me proteger. Quero o sol, quero a energia, a vitalidade da vida, preciso alimentar meus sonhos.

 Quero ser melhor. 
 

terça-feira, 14 de março de 2017

Felicidade é tudo


Há tempos não olhava o significado de uma palavra no dicionário. Não da forma habitual, tirando-o da estante e buscando um sentido para a palavra no índice. 

Fazia mais na busca no Google. 

Mas naquele dia, eu não queria ligar o computador ou buscar o celular.

Meu desejo maior era compreender a função de "aviltar" naquela sentença:   
"Acham mais negócio manter boas relações com exemplares dessa raça que lhe asseguram restos de comida e outras concessões que nos aviltam". 
                     (Confissões de um vira-lata. Orígenes Lessa. Pág 14.)

E então, veio a luz. Se a melhor escolha é manter boas relações ao invés de humilhar com essa raça.

Que assim seja.
E que seja melhor ainda.

E porque não com todas as raças, seres, povos ou nações.
Que fique para nós,assim, tal lição.



sábado, 4 de março de 2017

Feeling good





O mundo não para. Posso estar no céu ou não. Posso estar aqui ou não. Posso estar em qualquer lugar. Pode haver desespero, pode haver paz. Posso querer ir, posso querer ficar. 

Não para nem por um segundo. Segue seu fluxo, ininterrupto, seguindo seu curso. Sonho em mudar, quero mais, segue seu fluxo, não deixa de seguir. 

Me transformo, metamorfose. Saiu do casulo. Então, sei voar. Cá estou vendo o mundo em sua empáfia se transformar. 

Certo ou errado. Sigo contra a maré. Porém, não faço progresso. Pois, tudo se vai. 

Não é mais, por mais que eu queira, resista, relute. Se vai, dilui. Não é. Já foi. 

Resta o não ser. 
Resta ver.
O que resta? 
Alguém se habilita a dizer. 



quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

FANTOCHE NÃO MAIS





Aquele dia eu fiz uma promessa. 
                                                    De jamais ser um fantoche.
As rédeas da minha vida agora estavam em minhas mãos.
                                                    Ninguém mais, nenhum ser vivo, 
teria o poder de me dizer: o que sou, o que quero, o que desejo, o que faz o meu eu, minha autenticidade. 
                                                   Aquele tempo de apatia se foi.
Um período improdutivo, de negação, de ausência. 
                                                   Se foi, enfim.
Seja o que for, seja como te faça.
                                              Bobo, ridículo, feliz, largado, o que for.
                                                  A alma precisa.
Ela precisa ser alimentada pela originalidade, pela liberdade, pela falta de julgamentos.
                                                 Precisa do prazer da simplicidade, da ausência do peso da preocupação, precisa de você: livre.
                                            E as suas ações podem não fazer sentido, mas o crescimento das asas irá provar que quem está errado não é você, não mais. 
                                                 As linhas serão cortadas. Você estará no controle. Você será mais, bem mais que um ser enraizado, ligado a correntes. 
                                              Lá vai, agora bem mais veloz, confiante, alçando novos voos. 
                                                 Livre. 
                                         

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

QUANDO A DIVISÃO VIROU SOMA




Fácil não é. Se fosse, qual seria a graça? Será que realmente iríamos evoluir se tudo caísse de bandeja em nosso colo? 

Só descobrimos ao longo do caminho 

que um grau de dificuldade baixo nos bloqueia, faz com que nos tornemos menores. 

O sabor da conquista é maior de acordo com a quantidade de passos que damos. 

Em tudo que idealizarmos, em tudo que fizermos, em tudo que quisermos fazer, 

esse é o preço que pagamos.

E não é tão caro assim. Ao olharmos para trás e constatarmos que não somos mais os mesmos. Somos mais fortes, melhores, mais confiantes. 

Somos mais.



quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Dá Licença de Contar



O curta-metragem de 2015, "Dá Licença de Contar", consegue trazer o saudoso Adoniran Barbosa e suas sacadas sobre a vida paulistana a vida novamente. E é percorrendo as histórias de suas próprias músicas que o músico revive. Prepare-se para não perder o trem das Onze, pois Jaçanã é longe e o próximo trem só passa amanhã de manhã.