domingo, 14 de maio de 2017

Eu vou


O primeiro passo



Companhia para a última dança

Quem já passou por isso sabe. Imagine-se prisioneiro do tempo. Com os minutos contados e recontados. Iniciado um "timer" preparado para chegar ao fim. O algoz precisando de um par para a última dança. Uma angústia sem fim. Todos, que com os olhos cheios de lágrimas e o coração cheio de pesar, clamavam desesperadamente por um fio de esperança.


O destino estava lançado. E nós, desconhecedores da sorte, esperávamos para ver, nada mais poderíamos fazer. Ou poderíamos? É difícil dizer, mas é pior saber, pelo menos nesta situação. 

E o que não esperávamos parecia certeiro. E lá se foi ela. Desfrutou de sua última dança. Em companhia não desejada é claro. Desfaleceu em seus braços. Levou um pedaço de cada pessoa com quem compartilhava sua vida. Em dias de primavera, eu teimo e insisto em dizer que sinto seu cheiro nas flores.




quinta-feira, 6 de abril de 2017

Não está fácil para ninguém

Ninguém disse que seria. Mesmo para aqueles que neste momento vivem na mais santa paz. Se prepare, a vida logo se lembra de você e vem te dar um sacode. 

Não estou dizendo que ela é do mal e não vai te dar um único momento de descanso. Longe disso, o que quero dizer é que: não é bom ficar parado. 

O que não podemos negar é o quão bom é o viver, quanta coisa bom já vivemos até aqui, cada acordar, cada respirar, cada conquista, cada alegria, cada música boa que já ouvimos, cada sorriso.

Se tudo anda bem: se liga que não da para acomodar. Se tudo não vai bem, se fortaleça, respire fundo, tenha uma boa noite de sono e vá buscar melhorias. O que não pode é ficar parado, em ambas as situações. 

E, mesmo que não seja fácil, você pode buscar suporte, amparo, uma voz, uma mão. Você sempre pode ir ou pode ficar. Cabe a você decidir. 

Só saiba que nunca é tarde. 

Não deixe que um fardo de arrependimentos te impeça de se superar a cada dia. Há sempre tempo para se tornar uma versão melhor de si próprio.

 

domingo, 2 de abril de 2017

São tantas perguntas


Não sou o que fui, mas sou. Sim, eu sou

Assim como os lugares, as fotografias jamais poderão ser iguais. O momento captado não pode, sem dúvida, ser idêntico. Alguns não estarão mais, outros vão estar com os cabelos mais brancos, com a alma mais pesada. 

Árvores crescem :), rios desaparecem :(, pessoas vem e vão, dias intercalam luz e sombra. Cenários são substituídos. E só conseguimos ver quando passamos muito tempo sem ver ou encontrar. 

Em nossa jornada muita coisa nos transforma. Somos eternos mutantes e dia após dia somos transformados. E nossa bagagem nos faz seres mais fortes, mais experientes. 

Não sofremos tanto, não choramos por besteira. Somos mais forte. Ou passamos por tal. Não sou o que fui, mas sou. Sei com tanta certeza, com uma força tamanha. Sim, eu sou. E ninguém poderá dizer o contrário. 

quinta-feira, 23 de março de 2017

Sem medo



Inicialmente não precisa ser perfeito. Precisa ser feito. Necessita sair do papel. Deve ganhar asas. Tem que ter o sopro da vida e ser. Partir do mundo das ideias. 

Se tornar real. 

Meu desafio, meu calcanhar de Aquiles, minha pedra no sapato, a pedra no meio do caminho. Tudo que nascia, travava, era podado, se desmanchava em minhas mãos. 

Por causa da minha bagagem, das minhas defesas, meus medos. Dar vazão ao ser e tornar-se, finalmente, quem sempre fui tinha status de urgência. Sem barreiras, contratempos, empecilhos. 

De grão em grão, sem espaço para olhares de condenação. A essência da felicidade e a paz interior seriam forças, grandes aliadas, nessa grande batalha que começava e empreender. 

Os caminhos e a vida


Quem sou eu? Quem eu sou?