terça-feira, 29 de novembro de 2016

Everything



"And in this crazy life.
And through these crazy times.
It's you. It's you".




Em cada passo que eu der, em cada lugar que eu passar, em cada nova sensação. Estará lá um pouco de você. Um pouco de você em mim. Nada mais será verdade, não existirá algo que faça mais sentido. Não como antes. 

Atravessei o sinal, na quinta avenida depois de casa. Como todos os dias costumava fazer. E tudo mudou e jamais será exatamente como antes. Você entrou em minha vida. Ninguém mais, só você. 

Eu, uma pessoa forte, que passei por muito. Tornei-me destemido, forte e corajoso. E não existem desvios no caminho que me façam me sentir pior. 

Tudo começou faz tempo, para mim e para você. Tudo que passei me fez quem sou. E tudo, nem um pouco menos, se une em uníssono. 

Com sua história, suas vivencias, conhecimento. 

Uma música nova será escrita. E não haverá nada que possa fazer o som cessar. 

Pois, tudo é diferente. Tudo é. 







terça-feira, 8 de novembro de 2016

E você causou isso



Nada de buscar subterfúgios. A culpa é sua. Integralmente, você é o responsável por tudo. Criamos mecanismos de fuga, mas na hora da verdade, não temos como escapar. 

A verdade está estampada e é de domínio público. Corremos dela avidamente, pois achamos que assim estaremos isentos de confrontá-la algum dia. 

Doce engano. Ela sempre está sondando. Se tomamos decisões erradas na tentativa de esquivar, ela cresce. E nós não permitimos que isso também aconteça conosco. Não buscamos nos fortalecer para o confronto final. 

Que sim, sempre chega. É uma variável constante. Eis que sabemos de antemão o resultado da batalha, mesmo assim, apáticos tentamos acreditar na vitória. Mas a constante é exata. 

Precisamos nos impor, nos colocar de corpo e alma na batalha. Preparar a melhor estratégia.  Senão, seremos vencidos com total facilidade. Sem nem mesmo representar o  mínimo risco. 

E agora? 

De que lado ficar? 

Que decisão tomar? 

Muitos questionamentos. 

Poucas certezas. 

Alguma direção. 


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Sobre morada e caminhos


Não se pode chegar a algum lugar se você não decidir sair do lugar comum. É primeiro preciso sonhar, depois moldar as asas quando não se nasce com elas. 
Planejamento, dedicação, fé e uma pitada de esperança. 
Eis a proposta da fórmula. Pois, para cada um ela é composta com quantidades distintas de ingredientes. 
Depois de pronta, se faz necessária nos momentos mais difíceis. Até que se chega. E a chegada é maravilhosa. Aguardada e comemorada, mas e o caminho, as dificuldades. 
E os sonhos, o planejamento. 
 
A chegada porém não é o ponto final. Assim como a partida, precisa de tempo para terminar. É necessário recomeçar, senão iremos cair novamente e voltar para a ausência de partida. 
Porque, não se esqueça, para chegar em algum lugar é preciso partir em busca de jornadas constantes. Contudo, chegadas não podem se tornar eternas moradas, jamais foram feitas para isso. 


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Sabe aquela vontade louca...


... de viver de novo


É bem aqui, neste órgão que chamam de coração, bem aqui mesmo, do lado esquerdo do peito. Estou com uma saudade louca. Um sentimento que me faz querer ter de novo o que já tive. 

De reviver aquele momento, de te encontra. E seguidamente, muitas e muitas outras vezes tentar reviver. 

É que a vida perdeu a graça, não tem mais nada que faça tudo ficar bem de novo. Então, ela vem para tentar preencher tudo novamente. 

E exige de mim um pouco de querer fazer e voltar. E quero, mais do que tudo, quando o peito aperta não há nada que faça querer desistir. 

Mesmo que não tenha dado certo, que não tenha acontecido como planejado. Quero mais do que tudo navegar novamente. 


E saiba que não existem dúvidas, a vida vale muito e as experiências mais ainda. Cada uma delas merecem uma chance de serem reescritas.


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Eu vejo assim e ...





não me importo com o que dizem e sabe por quê? Porque ser assim faz a vida ser mais leve. Sem grilos, sem interrogações, sem empecilhos, sem divisões, sem mais pedras daquelas que devemos suportar. Sem achar que existem resposta prontas para tudo. 

Não há fórmula mágica pronta para cada pessoa. Somo tão diferentes, distintos em características e jeito de ser. Como sonhos diversos. Não precisamos seguir a boiada, devemos ao nosso ser a  liberdade para caminhar por aí sem chaves, cadeados, prisões. 

Para poder escolher, para amar, para se valorizar, para ser nós mesmos. Não seguir padrões por imposições. Somos quem devemos ser. Se isso causa estranheza, temor, receio, pois deixa ser desse jeito. 

Não podemos carregar um fardo maior do que nos é concedido. Leveza, paz de espírito, alegria. Soltar sorrisos para por mágica na vida. Cantar para tornar a vida mais animada, ser por essência, valorizar o eu, suas características, falhas, detalhes. 

O importante não é ser igual, estar no padrão, é a singularidade. Ser único, ser especial, ser diferente. 

Ser, independente do que digam, que achem, que pensem. A existência é única. Não precisamos passar a vida inteira deixando de acreditar em nós. Vamos que vamos.


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

O conhecimento muda a perspectiva






Peguei um livro já lido na estante e reparei que as traças haviam feito um grande estrago. Havia um caminho nas folhas amareladas, carregadas de história, sensibilidade, dores, medos e anseios dos personagens. 

No caso, era um livro baseado em fatos reais, portanto, bem mais pesado. A cada frase, os leitores se tornavam testemunhas oculares de algo real, que acontecerá, no nosso mundo em um tempo passado. 

Pode ter ocorrido em seu país ou em terras mais distantes. Mas era algo especial, que agora estava se deteriorando. Começara a deixar de existir pouco a pouco. Um tremendo paradoxo. 

O real, acontecido, desaparecendo por culpa de um animal e sua voracidade de comer histórias e letras impressas. Um universo particular sendo devorado. A traça apreciadora de personagens reais começara a destruir personagens. 

Após o pesar, o desejo de resgatar na memória relatos dos personagens. Algo me fez parar para pensar. Será que as traças tinham ciência do peso dessa história. 

De toda carga emocional que ela carregava. 

De toda humanidade que cabiam ali naquelas páginas. Será que elas sabem? 
Acho que não. Se soubessem jamais fariam isso. Imagine o tamanho da indigestão.



segunda-feira, 6 de junho de 2016

Misérias alheias e tão nossas



A miséria é sua, não é minha, não sinto na pele. Posso falar. E vou. Vou colocar o dedo na ferida. Não estou nem aí. Você não sou eu. 


É fácil falar, fazer piada, descaso com o sofrimento alheio. É só quando sentimos na pele que queremos expor, desejamos olhares compreensivos, apoio. 

Seguimos no dia a dia uma filosofia de caridade, de falta de julgamento, piedade. Mas o que acontece na realidade é que: só dizemos, não seguimos, fazemos julgamentos, intrigas, fofocas. 

Somos melhores, achamos que somos, claro que não. Somos assim. Vivemos como espectadores insensíveis, até que a cobra resolve dar o bote em nós.  




quarta-feira, 1 de junho de 2016

Em busca de refúgio


Olhar para mim, por dentro, não tenho tempo.
Os dias passam e não me conheço de verdade.
O que tenho são fragmentos de um vida dispersa,
de algo que poderia ser bom, mas não será
agora. Faz frio.
Antes, imaginei dias melhores.
ideias, perguntas, dúvidas, escritas.
Tentativas dispersas de quebrar o tempo,
de burla esta regra maior da vida.
Silêncio, silêncio.
Paz.
Ausência de barulho.
Respostas, sejam bem vindas.
E assim, se conectam os cacos, e assim, me sinto eu.
Pela primeira vez na vida.
E desta vez, sei quem sou.




terça-feira, 31 de maio de 2016

Uma pausa para amar


"Vamos dar uma chance para todas as formas de amor. Seja entre pais e filhos, irmãos, casal e todo o tipo de sentimento de compaixão. É este sentimento que faz o ser humano especial."

No fim do dia, o barulho ensurdecedor do dia a dia parece não nos abandonar e acabamos nos perdendo nos caminhos do amor. 

É como se só sobrasse cacos de um sentimento perdido. Vamos caminhando após abrir os olhos, seguindo apressados com uma ânsia de produzir algo para trocar por coisas que queremos, mas que no fim jamais vão ter o valor de um sentimento. 

É uma busca sem fim, que começa igual, e talvez, na melhor das hipóteses, poderá findar diferente. As chances são pequenas. Surge então os dilemas, os questionamentos. 

O olhar ganha uma nova chance. Deixa-se suspendido tudo que nos impede de ser, olhamos para dentro e identificamos o sentimento esquecido há tempo. Ganhamos novamente a dádiva: a capacidade de amar. 

Tudo e todos, qualquer sentimento vale se nos faz sentir vivos. Um sorriso com os amigos, uma conversa com um desconhecido, um abraço nos pais, uma brincadeira com os irmãos. 

Encontra-se o bem estar. O querer bem, que no fundo é o que nos faz lembrar: somo humanos e amamos. Sim, devemos amar.



segunda-feira, 23 de maio de 2016

Enfim uma esperança


Sem espaço para medos, não mais.
A esperança, há tempos desacordada, se faz presente.
Está renovada. 
É hora de deixar para trás todas as tristezas, tudo o que não foi. 
Porque não se vive de desejos que não se concretizaram. 
Se vive, sim, de esperança, de novos caminhos, novos sentidos, 
novas músicas. 
Se vive de presente, que se ganha todos os dias, que não se vê com olhos humanos, mas sim com olhos da alma. 
Novas trajetórias, novas amizades, novos perfumes, novos tempos.
Menos tristeza, menos desalento, 
não mais. 
Transformação: da alma, do ser. 
Mudança, construção, novos caminhos surgem porque foi permitido, porque você se permitiu enxergar que  não se é ninguém se você não permite que novos passos te levem para outros 
caminhos.



terça-feira, 5 de abril de 2016

Estradas e caminhos que nos levam para algum lugar



É incrível. Dependendo de onde você está no caminho da vida, seu ponto de vista muda completamente. E não existe contrapartida. Você não pode quebrar as regras, jamais poderá trazer um conhecimento do futuro para lhe auxiliar. É preciso passar, é necessário aprender. Não se trata de um jogo, é a vida, dia a dia vivido, lutas, desafios, alegrias, fé, garra, esperança. A cada passo, a cada dia, fica um saldo: os calos nos pés. Coisas importantes, situações de vida e morte, desejos, sonhos. Todas elas se transformam, são moldadas. Você precisa passar, precisa crescer. Lá atrás, jamais vai imaginar com o que será. No caminho, terá esperança, ela vai lhe fazer seguir. Poderá surgir fantasmas no caminho, que vão tentar lhe impedir, lhe fazer negar e desistir. Sua essência poderá ficar turva, você poderá ser enganado. Vai perder tempo. Só que após decidir seguir, vai chegar em um ponto em que conseguirá ver tudo o que se foi no instante em que resolver olhar para trás. Vai traçar uma linha do tempo, uma teia, inúmeras respostas, que podem fazer sentido ou não nesta altura do caminho. Evolução, quando chegar, você saberá.  Quanto a estrada, ela vai continuar lhe levando sempre para algum lugar, jamais para lugar algum. E chegará um ponto em que você não saberá se absorveu muito da estrada ao ponto de que ela tenha se mesclado com você.





segunda-feira, 21 de março de 2016

Um pouco de ética e respeito, por favor.





É o que a gente pede, em qualquer situação: que as pessoas não esqueçam seus valores e, principalmente, a razão daquilo que é certo. 



Hoje, vemos a deturpação do certo e errado, mas existe algo que deve permanecer bem forte dentro de nós: os princípios morais. São estes princípios que vão nos guiar entre o mau e o bom, o certo e o errado dentro de uma sociedade. Todas as vezes que for tentado a pegar algo que não é seu, a sair ganhando de forma ilícita, por exemplo, são os valores que você carrega que vão provar quem você realmente é. Nossa sociedade clama por ética, pois está órfã há tempos. Vemos um ciclo vicioso de farsa, do errado sendo vestido de certo, das pessoas fazendo vista grossa em relação a isso, aceitando prontamente. 

Mas, enfim, a gente cansa e clamar:  um pouco mais de ética, por favor. Faz-se necessário em determinados momentos. Não vamos cansar de pedir. Precisamos disso, temos necessidades de ser melhores, este é o caminho.




quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Até que tudo mudou


A rotina se desfez. No peito aquele sentimento até então desconhecido. A vontade insaciável de te ver. Alguém que até ontem nem conhecia. 

Uma loucura, o desejo de saber se o sentimento era recíproco. Se você me via. Como um indigente em busca de migalhas, desejei profundamente ser alvo do seu amor. 

Me fiz pequeno, mas perto de você eu virava gigante. Que loucura o que o amor despertava em mim. Te pedi para prometer que se isso for um sonho e tudo que vamos viver acabar um dia, você iria guardar um espaço no seu coração para quando a dor passasse. 

Me permitiria estar em você. Pelo que foi. Não quero te abandonar e, mesmo que a vida me faça partir, eu estarei sempre com você. Se depois de tudo, você consentir em me deixar viver dentro de ti, a nossa felicidade não estará condicionada a aquisições. 

Será presença constante, eterna, marcada para sempre. É uma promessa.


terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Vamos lá fazer o que será




E chegou, um ano todinho para fazermos o que será. Sem medo de lutar todos os dias para protagonizar nossas histórias. Tomar as rédeas da situação e fazer o novo. 

Com fé na vida renovada, é hora de pensar que sempre podemos mais. É preciso apenas tentar. 

Quem me disse tudo isso foi o menino que vive dentro de mim. Pergunte aquele que vive em você. Ele com certeza dirá o mesmo.