quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Antes de começar eu sabia que o final seria bom



Não esperávamos muito.
Nem queríamos tanto.
Só sair e ver o mundo, por menor que ele parecesse ser.

Ciranda de mãos dadas, lágrimas compartilhadas que secavam instantaneamente. Risadas sinceras.

Felicidade não se resumia a ter. Era um sentimento real. 

Sem noção de tempo. Tudo corria bem devagar. Como se fosse uma cena em stop motion

E estávamos lá: juntos, sem esperar nada.

E a mente nos transportava para todos os lugares, ganhando ares de conto de fadas.

E a sinceridade não doía de ser ouvida. 

Podíamos ser quem quiséssemos, que não havia complexidade, problemas nem preocupação.

Carregávamos a sinceridade e a pureza no olhar. 

Um a um chegando no mesmo tempo como se fosse um chamado silencioso.

Brincadeiras, sorrisos, palavras e rostos felizes.

Queríamos crescer, mas não sabíamos que iriamos desejar, do fundo do coração, voltar.  

Mas o que há para saber é que carregamos ela dentro de nós, na verdade, nunca nos abandonou.

 E lá no fundo, independente de onde paramos, do quanto esquecemos, podemos encontrar a qualquer hora a nossa melhor versão, somar com ela e tentar ser melhor.


terça-feira, 5 de setembro de 2017

Profundo saber


Ninguém mais acreditou. 
Já era visto como passado, apenas pó.  
A lua voltou a aparecer no céu após um período de nublado. Eu sempre soube, tinha fé. 
Vi acontecer antes de ser aquilo que era invisível aos olhos dos outros. 
Não deixei me levar. 
Persisti, pois sabia que era viável. 
Mesmo sendo visto como sonhador, planejei cada detalhe dessa realidade. 
Um dia de cada vez.